[Resenha] A Menina que Roubava Livros


Título:  A Menina que Roubava Livros (The Book Thief)
Autor: Markus Zusak
Número de páginas: 480
Editora: Intrínseca

Classificação: ✭✭✭
Sinopse: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público..


Emocionante, foi a palavra que encontrei para melhor definir A Menina que Roubava Livros, um livro que ganhou status de favorito na minha estante antes mesmo de eu terminar a leitura. O que mais chama a atenção neste livro é a narradora, que é nada mais, nada menos que a morte, e por incrível que pareça ela se apresenta bem diferente do que imaginamos. Ela encontra  Liesel Meminger por três vezes, e  de todos esses encontros Liesel sai viva, a morte se afeiçoa a menina, e resolve nos contar sua história.

A nossa simpática narradora nos conta a vida de Liesel entre os anos de 1939 a 1943, a história se passa na alemanha nazista, no período da 2ª Guerra Mundial. Tudo começa em um trem, onde a mãe de Liesel está levando ela e o seu irmão mais novo para um lar adotivo, os pais biológicos de Liesel eram comunistas e para segurança das crianças elas seriam criadas por uns alemães pobres.
É quando a morte a encontra pela primeira vez, o irmãozinho de Liesel morre, e no funeral dele Liesel executa seu primeiro roubo, o livro era o Manual do Coveiro, que um aprendiz deixou cair na neve. A pobre da Liesel nem sequer sabia ler, pegou o livro por ser seu único elo com irmão e a mãe biológica, depois desse haveriam vários outros furtos.

Chegando a Molching, conhecemos os pais adotivos de Liesel: Rosa com seu jeito grosseiro e Hans que é simplesmente um amor e que Liesel logo cria um vínculo afetivo muito forte. Também conhecemos outros personagens como Rudy Steiner, melhor amigo que sonhava com um beijo de Liesel, Frau Holtzapfel que sempre cuspia na porta dos Humbermanns, Frau Diller, a lojista ariana, Tommy Müler, um garoto que tinha deficiência auditiva, e mais pra frente iremos conhecer também Ilsa Hermann, mulher do prefeito e o memorável Max, um judeu que passa um tempo escondido no porão dos Hubermanns.

Liesel é uma personagem definitivamente cativante, ela, assim como nós que somos leitores ávidos, tem uma paixão inestimável por livros, ela aprende a ler, mesmo em condições precárias, passa a devorar livros e depois de um tempo escreve a sua própria história, e por vezes vemos a morte falar sobre esse amor que Liesel desenvolve pelas palavras.

A leitura não é das mais fáceis, isso explica porque muita gente abandona a leitura antes de chegar na metade do livro, tem muitas palavras em alemão e talvez  pelo fato da narradora ser a morte, o livro tem uma narrativa bem diferenciada, mas vale muito a pena a leitura, não é à toa que muitas das pessoas que concluem a leitura se apaixonam pelo livro, assim como eu. Sem contar que o livro é cheio de quotes lindos(que postarei pra vocês um outro dia), e os personagens são muitos cativantes, é difícil que algum deles passe despercebido, e durante a narrativa a morte nos fala um pouco sobre o seu trabalho, e sobre a guerra. O final é trágico, mas ao mesmo tempo doce (é difícil de explicar).

Eu não preciso nem dizer que recomendo a leitura para vocês, e faço minha as palavras a 4ª capa: "Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler." 

Foi feita uma adaptação cinematográfica para o livro, a estréia do filme no Brasil está prevista para janeiro de 2014. Já tem trailer oficial e foi divulgado também o primeiro pôster promocional que eu separei pra mostrar a vocês.





Filme The Book Thief

20 comentários:

  1. Não tem como definir esse livro! Um dos mais fantásticos e emocionantes que eu já li... Abraços, Isabela.

    ResponderExcluir
  2. Luana Kraemer11/09/2013 22:28

    Amei a sua resenha! Amo, amo, amo e amo esse livro, é extremamente apaixonante, viciante, angustiante, é demais, não tem nem palavras pra dizer o quanto esse livro é demais! Parabéns pela escolha! Conquistasse uma seguidora! haha

    Beijos!

    http://gimmeflowers.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Mayse Silva12/09/2013 16:39

    É realmente difícil encontrar as palavras certas para definir esse livro.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Mayse Silva12/09/2013 16:40

    Obrigada. Eu também passei a amar este livro, é fantástico.
    Seja bem vinda! Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Fernando Pacman12/09/2013 20:02

    Minha namorada leu este livro e adorou. Ele esta na minha lista.de futuras leituras, quero ver se leio antes do filme.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Gente, como eu amei esse livro..incrível...me marcou muito<3

    Beijos

    http://imaginebelleblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Silvana Crepaldi14/09/2013 16:26

    Esse foi um dos melhores livros que li. Ele é daqueles que ou você ama ou você odeia. Estou ansiosa pelo filme.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Mayse Silva16/09/2013 16:34

    Lê mesmo. Ele é ótimo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Mayse Silva16/09/2013 16:34

    Verdade Silvana, e no meu caso eu amei.

    ResponderExcluir
  10. DanieleTumbler16/09/2013 16:47

    Oi, Mayze, não tenho nem como descrever como gosto desse livro, tenho até um certe receio de assistir ao filme e não ser tão bom, bjos

    adorei seu blog e já estou seguindo

    http://www.historiaspossiveis.com/

    ResponderExcluir
  11. Larissa Mirandah17/09/2013 08:39

    Ameeei! Eu resenhei o livro no blog semana passada, e confesso que foi um dos livros mais difíceis de resenhar, eu não encontrei a palavra certa pra defini-lo, ele é muitas coisas ao mesmo tempo e o Zusak soube acabar comigo. É exatamente como você falou, e chega a ser uma pena ver que as pessoas abandonam o livro, a narrativa é diferente, e talvez esse tenha sido um fator que me fez não desistir do livro, a morte contando uma história, onde mais poderíamos encontrar algo assim? Os personagens são maravilhosos, eu me apeguei até mesmo a Morte. O final desse livro partiu meu coração, é aquele momento em que você deseja ser criança novamente e ler história que sempre vão terminar com o final feliz, mesmo sabendo que na vida real não é assim, mas as vezes, essa realidade machuca. Resenha linda Mayse!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Mayse Silva17/09/2013 18:55

    Não tem como continuar da mesma forma depois da leitura, a história é inesquecível.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Mayse Silva17/09/2013 18:56

    Vou confessar que também tenho medo do filme não atender as minhas expectativas.
    Obrigada. Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Mayse Silva17/09/2013 19:16

    Iria adora ler sua resenha Lari. Pra mim também foi difícil fazer a resenha, tive que esperar um pouco, pois quando acabei a leitura havia um misto de emoções dentro de mim.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Ana Paula Marques18/09/2013 03:56

    Amoo esse livro. Tenho ele na minha estante o no meu kobo, com certeza está entre os meus 10 favoritos. Agora é esperar pelo filme né, que parece que também vai ser lindo <3

    http://avidaepoema.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Traduzindo Sonhos18/09/2013 08:18

    Como não amar esse livro? Sem dúvida alguma ele é um dos meus preferidos no mundo todo *-*

    Eu amei d+++ e já reli trilhões de vezes, nunca perde o encanto!!!

    Beijos

    http://traduzindo-sonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Mayse Silva19/09/2013 19:34

    Ele também entrou pra minha lista dos top 10.

    ResponderExcluir
  18. Mayse Silva19/09/2013 19:34

    Eu acebei de ler e já pretendo reiniciar a leitura, é lindo de mais!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Emanuel Barbosa22/09/2013 14:22

    Olá Mayse,
    Ótima resenha! Ainda não li este livro, mas está na minha lista de compras e espero gostar assim como você gostou...
    Abraços!

    leromelhorvicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Mayse Silva23/09/2013 18:47

    Obrigada Emanuel! Espero também que você goste tanto quanto eu.
    Abraços!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Ad�lia S� | N�o retire os cr�ditos